Dra. Giovanna Dimitrov
CRF SP 15.794
Consultoria Farmacêutica e Treinamentos

Mais músculos... burocracia menor

Os suplementos alimentares e outras 14 categorias não precisam mais de registro na ANVISA, é o que determina a Resolução RDC 27 publicada em 9 de agosto. Para o varejo farmacêutico significa mais produtos regulares no mercado e novas oportunidades de serviços.

 

Com a recente queda das liminares que permitiam a venda de medicamentos isentos de prescrição médica (MIP´s) no auto-serviço, o espaço físico nas gôndolas aumentou e novos itens devem ocupar este espaço.

 

A isenção do registro desses produtos não significa perda da qualidade, pois estes alimentos continuam seguindo os regulamentos técnicos específicos que garantem qualidade.

 

No caso de alimentos dispensados de registro junto à Anvisa,  as empresas passam a informar a autoridade sanitária local sobre o início da produção do alimento. A vigilância sanitária é a responsável pela inspeção na fábrica da empresa para verificar as condições de produção do alimento.

 

A primeira mudança na regulamentação de suplementos alimentares aconteceu em abril desde ano, onde a Creatina e a Cafeína foram liberadas para consumo. A venda de Creatina era proibida desde 2005 no Brasil.

 

Com a RDC 27/2010 a Anvisa pretende reduzir em 47% o número de pedidos de registro de alimentos que chegam à Agência. Os alimentos com alegação de propriedade funcional e ou de saúde, alimentos infantis, alimentos para nutrição enteral, novos alimentos, novos ingredientes e substâncias bioativas e probitóticos isolados com alegação de propriedades funcional e ou de saúde continuarão com obrigatoriedade de registro junto à Anvisa.

 

Categorias de alimentos dispensadas de registro:

 

ADITIVOS ALIMENTARES

ADOÇANTES DIETÉTICOS

ÁGUAS ADICIONADAS DE SAIS

ÁGUA MINERAL NATURAL E ÁGUA NATURAL

ALIMENTOS PARA CONTROLE DE PESO

ALIMENTOS PARA DIETAS COM RESTRIÇÃO DE NUTRIENTES

ALIMENTOS PARA DIETAS COM INGESTÃO CONTROLADA

DE AÇÚCARES

ALIMENTOS PARA GESTANTES E NUTRIZES

ALIMENTOS PARA IDOSOS

ALIMENTOS PARA ATLETAS

COADJUVANTES DE TECNOLOGIA

VEGETAIS EM CONSERVA (PALMITO)

 

SAL

SAL HIPOSSÓDICO / SUCEDÂNEOS DO SAL

SUPLEMENTO VITAMÍNICO E OU MINERAL

 

 

Na década de 90, o consumo de suplementos nutricionais cresceu drasticamente, impulsionado pelo envelhecimento da população e a procura de um estilo de vida mais saudável. Atualmente, a preocupação com a estética, saúde, performance e um envelhecimento saudável são os principais motivos para o crescimento da indústria dos suplementos alimentares.

 

A demanda por produtos alimentícios com benefícios à saúde não sofre tanta influencia com as crises e quedas no consumo geral, assim como são menos sensíveis a alterações de preços. O consumidor acredita que vale a pena pagar caro por produtos que façam bem para sua saúde, ou compensem seu estilo de vida desregrado, como multivitamínicos.

 

Atualmente os suplementos nutricionais estão ganhando credibilidade científica ao longo do mundo todo por seus benefícios à saúde, graças aos grandes investimentos na área de pesquisa de novos ingredientes e novos alimentos com propriedades funcionais.

 

Muitos profissionais da área de saúde, recomendam suplementos nutricionais como auxiliar na terapia e substituto dos medicamentos tradicionais.

 

Assumindo que estes profissionais possuem maior conhecimento da qualidade e eficácia dos produtos, aumenta a credibilidade e consumo desta categoria.

 

O mercado global de suplementos nutricionais aumentou de U$59,8 bilhões em 2007, para U$78,5 bilhões em 2008, com previsão de fechar 2009 acima de U$ 100 bi e com previsão de atingir U$ 150 bilhões até final de 2011, um crescimento anual de 20-25% (Report ID: FOD043A, Published: September 2008, Analyst: Vanita Khetan).

 

O mercado Americano é o mais promissor e menos de 15% das empresas tem faturamento menor que $20 milhões/ano:

 

- Numero de marcas: > 660

- Número de categorias: > 30

- Ingredientes permitidos: > 500

- Mais de 180 milhões de americanos adultos, ou seja, 75% da população adulta consomem suplementos;

- Ponto de venda: 45,000 pontos, sendo aproximadamente 10.000 somente de lojas especializadas em suplementos nutricionais.

 

Empresas de médio a grande porte na área de nutrição esportiva nos EUA faturam em torno de U$ 100 a U$ 300 milhões. Estima-se que apenas o mercado de nutrição esportiva gira em torno de U$12,7bi anual.

 

As lojas especializadas nos USA são redes com faturamento anual estimado em $1,65 bilhões (lucro estimado de $120 milhões), com 5.200 lojas e presença em 45 países (menos Brasil), estimado 12.700 funcionários.

 

No Brasil o consumo estimado de suplementos nutricionais é de $120 milhões por ano, mas os brasileiros compram seus suplementos nos EUA.

 

O mercado de suplementos nutricionais no Brasil tem um potencial incrível, mas ainda é muito tímido e praticamente irrelevante quando comparado ao mercado americano, europeu, asiático e de vários outros paises.

 

Este atraso da área de suplementos alimentares se deve a “antiga” regulamentação de alimentos, e que começa a melhorar com as novas legislações.

 

Dados do Mercado Brasileiro:

 

- Faturamento estimado do mercado nacional: R$ 500 milhões

- Empresas cadastradas: < 50

- Pontos de vendas: <1.200 (300 lojas especializadas)

- Estima-se que 5% da população brasileira consomem suplementos (10milhoes de pessoas)

 

Com a população voltada para o bem estar e investindo cada vez mais na qualidade de vida, o mercado de suplementos alimentares deve ocupar cada vez mais espaço nas prateleiras das farmácias e drogarias.

 

Uma boa oportunidade!

 

Bom trabalho!

 

Dra. Giovanna Dimitrov

Consultora Farmacêutica

CRF SP 15.794

www.marcad.com.br

 

 

Cadastre-se